sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Schiacciata all'Uva

Outro dia à tardinha, quando cheguei em casa, uma surpresa me aguardava.
A surpresa chama-se 'La Dolce Vita', um livro lindíssimo com uma seleção de receitas de doces típicos dos lares italianos.
Fiquei maravilhada, acho que, quando folheei o livro pela primeira vez, nem respirei. Depois, na segunda folheada, fui vendo os capítulos, lendo as receitas, anotando qual (is!!) iria preparar e quando vi esta, decretei: será a primeira.



Schiacciata é um pão tradicional da Toscana/Itália, que pode ser doce ou salgado. Na época da colheita das uvas para o preparo do vinho, normalmente em outubro, é preparada doce, utilizando-se estas uvas de vinho, que podem vir no recheio, no recheio e na cobertura, ou somente na cobertura.

Eu procurei pelas uvas pretinhas, mas não é época; e não encontrei as Thompsons rosadas, só as verdes (ou brancas?).
Acabei por optar pelas red globs, que estavam bem docinhas; parti ao meio e retirei as sementes, afinal, ninguém merece caroço de uva, ou de uva-passa, ou de azeitona...
Ainda sobre as uvas, devo acrescentar que as que eu usei, apesar de estarem bem docinhas e saborosas, após o cozimento elas ficaram um tantinho pálidas, o recheio acabou por ficar rosado... E da próxima vez, acho que vou fazer com as pretinhas mesmo – quando estiver na época; e utilizá-las na cobertura, salpicadas com um tantinho de açúcar. Segui as instruções do livro para utilizar todo o caldo das uvas proveniente da marinada no açúcar. Acho que isso fez com que a massa de baixo não crescesse muito, por conta do excesso de líquido e açúcar.

Agora, sobre o pão, é realmente surpreendente. O pão em si não é doce, mas quando se saboreia a massa com as uvas, fica delicioso!!!

Valentina, obrigada mais uma vez! Você não faz idéia do quanto fiquei feliz!



Rende 1 schiacciata

Para o pão:
175ml água filtrada (ligeiramente morna, se a sova for feita manualmente)
2 colheres (sopa) açúcar cristal orgânico
3 colheres (sopa) azeite de oliva, extra virem
1 colher (chá) sal
350g farinha de trigo, especial para pães
2 colheres (chá) fermento biológico seco, instantâneo

Para o recheio:
55g açúcar cristal orgânico
450g uvas frescas, sem sementes
¼ a ½ colher (chá) sementes de anis – não usei
1 ovo batido para pincelar


Misture o fermento à farinha; acrescente o sal e o açúcar, misturando bem. Faça uma cova central e acrescente a água e o azeite, misturando bem. Sove a massa, por cerca de 5-7 minutos, até obter uma massa macia, elástica, levemente grudenta. Se necessário, acrescente mais farinha de trigo (eu não precisei...), 1 colher de cada vez. Faça uma bola e coloque em uma vasilha levemente untada. Cubra com filme plástico e deixe em um local livre de correntes de ar, até dobrar de volume. Verifique se a massa já está crescida: com 2 dedos enfarinhados, faça um buraco profundo; se ele se fechar, deixe crescer mais um pouco; se permanecer aberto, OK, já pode ser moldada.

Lave as uvas, seque-as e corte-as ao meio (Retire os caroços, se for o caso). Coloque-as em uma vasilha, acrescente as 55g de açúcar, as sementes de anis, misture bem, cubra e deixe marinando enquanto o pão cresce.
Unte uma assadeira de cerca de 22/28cm – o livro indica uma de 28x25cm.

Após o primeiro crescimento, vire a massa do pão sobre uma superfície levemente enfarinhada; e com delicadeza, dê um soquinho para retirar as bolhas de ar. Divida em 2 partes iguais (eu uso a balança...).
Com uma metade, abra um retângulo, um tantinho maior que a forma. Acomode a massa na forma.
Coloque a mistura de uvas, espalhando uniformemente por toda a superfície. Deixe uma borda de massa de cerca de 1cm livre das uvas.
Abra a outra metade da massa e coloque sobre as uvas, beliscando as bordas, para que fique bem fechada impedindo que o recheio vaze durante o assamento.
Pincele com ovo batido e deixe descansar e crescer por 15 a 20 minutos.

Pré-aqueça o forno a 200ºC.
Asse por cerca de 35-40 minutos, até ficar bem dourada.


Sirva morna, cortada em quadradinhos.

27 comentários:

Isa Lourenço disse...

Esse pãozinho doce deve estar uma delicia.
E o tom que as uvas deram....

Bjos

ameixa seca disse...

Ficou linda mesmo que rosadinha :) Não conhecia esta schiacciata, parece-me super saborosa!
Bom fim de semana :)

Renata Gaeta disse...

que aparência deliciosa... fiquei super curiosa, tbém não conhecia...

bjs

EU MULHER disse...

Boa noite Laurinha! Essas uvas red globs realmente tem caroços enormes, tem que tirar realmente.

Creio que a niágara seria perfeita.

Eu imagino que mesmo com as red tenha ficado maravilhoso. O aspecto está ótimo!

Beijos

laila disse...

tinah certeza q vc iria gostar do livro italiano...amei sua escolha...esse pão parace otimo mesmo!! vou guardar tds as receitas!!!

bjs

Filipa disse...

E que bela escolha para primeira receita, a torta ficou linda! As uvas deram-lhe um tom lindíssimo e um aspecto muuuuito tentador...

beijinhos

Glau disse...

Laurinha, que delícia receber uma surpresa! Aposto que nós sairemos ganhando!

Um beijo querida, glau

Leonor de Sousa Bastos disse...

Olá Laurinha!!

Fiquei super curiosa com este pão!...nunca tinha ouvido falar em tal coisa!
Que ar delicioso!...

...la dolce vita, mesmo!

Andrea Dohashi disse...

Laurinha você com certeza é a rainha dos pães! Menina que lindos saem os seus, fico aqui babando, como por exemplo estou agora!
Beijos.

Mari Azevedo disse...

Laurinha querida, imagino a tua alegria ao receber este lindo presente!! Que coisa boa, e vc merece muito!!! Nunca tinha ouvido falar neste pãozinho... fiquei com água na boca, que delícia!!
Aposto que além dele, vc postará muita coisa gostosa e bonita para nós, q bom!!!
Beijoss

Simone Izumi disse...

Ui, que delícia!!
E mais um livro para a minha lista de objetos de desejos!!!rs...laurinha, tem a receita de cannoli????
bjsss

Axly disse...

Que delícia de massa!
Imagino o sabor que não tem quando se usa as uvas pretinhas^^
Kisss flor!

Carla disse...

Muito bom Laurinha!
Adoro aprender a tradição de outros países, neste caso Itália. Obrigada por partilhar! Ficou perfeito como sempre =)

bjs

Laurinha disse...

Isa, ficou mesmo bem bonito!

Ameixinha, dinina!

Renata, pois é, meus olhinhos vão sempre direto para pães, e quandi li este, fiquei encantada. 'Tinha' que experimentar!

Eu Mulher, obrigada, viu!

Laila, menina, lindo demais, demais, demais, até hoje ainda folheio um pouquinho por dia...! Vou anotando, especulando... adorei mesmo!

Filipa, viu só! Obrigada!

Glau, já preparei mais 3 sugestões, aos poucos elas irão aparecer por aqui!

Leonor, não deixa de ser um 'parente' da focaccia...

Andrea, ficou delicioso... será repetido sim!

Mari, ô-se-vô!!!

Simone, numtem... outro dia fiz um seguindo uma da allrecipes, quasiquasi... então, ainda à caça 'da receita'!

Axly, estou só esperando a temporada. que é rapidinha, só algumas semanas e depois... só no próximo ano.

Carla, meu pai sempre me disse, que meus ascendentes são portugueses, mas no meu sangue corria vin santo! Capisce?! :DD
Adoro a culinária italiana, tantos doces/salgados, mediterrânea... a Itália é uma tremenda colcha de retalhos, deliciosa, cada região com sua característica, cada família com seu toque! Acho que não tem pasta igual, cada mama tem sua maneira de fazer/temperar/servir!

Beijinhos, meninas!!

Téia disse...

Nooossa Laurinha, que diferente e lindo. Amei esta receita. Ó tem um selinho pra você lá no banquetes. Bj grande querida.

Naninha disse...

Laurinha que surpresa gostosa hein?!
Menina teu pão ficou lindo, quando fizer com as uvas pretas coloque fotos para vermos!
Beijos

Carmencita disse...

Laurinha, esse pão deve ser muito bom, já tinha feito bolo com uvas,mas no pão não, que coisa boa né, por acaso a uva preta que vc se refere é a uva Isabel? pois tenho visto por aqui nos mercados, ela é dulcíssima. Olhe o pão ficou com uma aparência tentadora.Bjss

Vivian disse...

guria, que loucura esse pao !! com certeza nao deve sobrar nada !!!

bom domingo

bjks

Luciana B. - Ribeirão Preto disse...

Oi Laurinha!
Eu adoro este prato e também faço, mas o meu fica diferente porque eu jogo as uvas por cima da massa e as aperto na massa... adorei ver a sua versão. Qualquer hora vou fazer e postar a minha :)Te mando um pedaço

Odete disse...

Nao conhecia. Deve ser uma delicia mesmo!

Beijos e uma linda semana p/ ti

Iliane disse...

Laurinha querida..fiquei encantada com êsse pão..que maravilha..numca tinha ouvido falar antes!!muito maravilhosa a receita..você ganhou êsse livro incrivel:parabens..você merece..e nós ganhamos as receitas..sei que vais fazer bastante..bji grande amiga..lidas fotos..li

Cris disse...

Parece tão, mas tão gostoso!!! Ótimo para uma reunião entre amigos, porque se eu fizer e não tiver com quem dividir, eu acho que como tudo sozinha!!! Bjs!

Bia Belliard disse...

hmmm, deve ser muito bom ! eu tenho este livro tb, mas esta receita ainda nao fiz, ja vou colocar na lista ! beijocas

Valentina disse...

Laurinha, achei este livro a tua cara, e quando falei com a Laila ela também concordou. Que bom ver as tuas criações. Aguardo mais.

Serena disse...

Gostaria de mencionar alguns detalhes: a schiacciata tradicional é uma espécie de pão salgado e pode ser saboreada por toda a Toscana o ano todo.
A schiacciata dolce é como um bolo que se come no carnaval, sobretudo, em Firenze. A schiacciata doce pode ser recheada, a salgada, não. Neste caso, a azeitona ou a cebola é colocada por cima do pão, no momento de levá-lo ao forno.
Veja a diferença:

Esta é a versão doce http://www.geopromotion.it/ricettissime/dolci/Schiacciata%20alla%20fiorentina.jpg

e esta, a versão salgada
http://www.cookaround.com/yabbse1/foto/data/1869/medium/schiacciata.JPG


A diferença entre focaccia, pizza bianca e schiacciata está na quantidade de azeite na qual a pasta do pão é envolta. A schiacciata tradicional leva muito azeite típico da região de Chianti, naturalmente frutado. Isso dá um sabor marcante ao pão.

Schiacciare significa amassar, em italiano (shiacciare, em dialeto fiorentino). Isso porque a pasta do pão é colocada em uma forma e amassada até receber a forma do recipiente, pra então ser levada ao forno, envolta em azeite.

As pessoas não entendem porque os italianos são tão minuciosos com os detalhes de sua cozinha. Meus pais são fiorentinos, mas vivem há 32 anos aqui. Eles me ensinaram que a maior riqueza da Toscana são as suas tradições. É nosso jeito de falar, nossa história e aquilo que comemos que nos identifica e nos dá valor. Se nós, fiorentinos, não cuidarmos e protegermos nossa cucina e nossa história, ninguém vai fazer isso por nós. É nosso maior patrimônio e nossa identidade cultural.

Laurinha disse...

Serena, muito obrigada pelas informações. É sempre bom aprender...
Beijinhos

Lu Marques disse...

Laurinha, adorei o seu blog,serei sua seguidora desde já, a receita de Schiacciata de uva é divína!!!com certeza a farei,bjss..no coração.
http://lucinda-marques.blogspot.com